Imagem Destaque

Negócios digitais e inovações são temas de painel no Congresso Moveleiro

publicado em 17/08/2018 por Assessoria

O 9º Congresso Nacional Moveleiro, que acontece de 15 a 17 de agosto, em Arapongas, Norte do Paraná, terá em sua programação um Painel Digital destinado a diretores e gestores de empresas da área comercial, marketing e TI, bem como designers. A atividade será no dia 17 de agosto, sexta-feira, das 13h15 às 15h15.

Na ocasião, Allan Costa, escritor, consultor e mestre em Gestão Estratégica, vai falar sobre Transformação Digital e Novos Modelos de Gestão. Já Vivianne Vilela, diretora executiva da E-Commerce Brasil, tratará do Comércio Eletrônico (e-commerce) e Inovações nos Negócios.

"A ideia é debater as inovações exponenciais que estão criando o que se convencionou chamar de 'inovações disruptivas', e avaliar o impacto delas na indústria, principalmente na cadeia do setor moveleiro", explica Costa. Ele conta que é normal que a maioria das empresas, envolvidas nas suas atividades diárias e de olho nas vendas, no mercado e nos resultados, acabe deixando em segundo plano a atenção com as inovações que estão surgindo no mundo. “O problema é que o ritmo com que as inovações estão surgindo é cada vez mais acelerado e a curva de disrupção se acentua, fazendo com que empresas outrora líderes de mercado simplesmente desapareçam por não perceberem as mudanças à sua volta”, pontua.

Durante o painel, ele vai destacar quais são essas inovações e como avaliar o impacto dessas questões. “Tenho uma grande expectativa com este painel, considerando que estaremos com empresários de um dos segmentos mais importantes da economia nacional. Por isso debater inovações exponenciais é criar possibilidades para aumento de competitividade, para geração de riqueza e emprego, e para o avanço econômico e social do Paraná e do Brasil", anima-se.

Viviane Vilela destaca, em sua participação, que "o comércio eletrônico é um canal de vendas bastante dinâmico e que exige mudanças rápidas de acordo com a concorrência e comportamento dos compradores online", diz.

O faturamento do comércio eletrônico, segundo ela, foi de R$ 47,7 bilhões em 2017. O número representa um crescimento de 7,5% em relação a 2016, quando foram registrados R$ 44,4 bilhões. A Ebit (indicador que apresenta o quanto a empresa obteve de lucro se só considerasse as operações realizadas pela atividade fim da empresa) prevê que o movimento de migração das vendas para canal online deve continuar forte e, desta forma, estima-se um crescimento nominal de 12% no faturamento do comércio eletrônico, atingindo um total de R$ 53,5 bilhões em 2018.

No caso do mercado moveleiro, Vivianne mostra que "a categoria Casa & Decoração é uma das mais vendidas online no Brasil há mais de cinco anos. Nos Estados Unidos, o mercado de vendas de móveis e decoração é de US$ 270 bilhões, dos quais 9% já são vendidos online.

“Esta é uma das categorias mais vendidas pela Amazon nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, como a Alemanha”, explica Viviane. Ela esclarece ainda que o varejo online cresce globalmente a uma taxa entre 12% e 35%, dependendo de onde se faz negócios. “Nos EUA, por exemplo, o comércio eletrônico representará 25% do varejo total em 6 anos. Hoje, a Amazon representa 5% das vendas do varejo total dos EUA. No Reino Unido, esse valor pode exceder 30%”, destaca.

E acrescenta: “o mais impressionante é que em três anos, três empresas - Amazon, Alibaba e eBay - controlarão 40% do comércio eletrônico do Planeta Terra", ressalta. "A pergunta que precisa ser respondida por qualquer negócio hoje sobre o digital não é se deve ou não pensar em transformação digital e, sim, como fazer isso para levar a empresa para os próximos anos", concluiu.

Crédito: Gelson Bampi.

voltar
Logos